Mandala traduzindo do Sânscrito, significa: मंड "essência” + ल "ter" ou "conter". Também pode ser traduzida como círculo ou circunferência, totalidade, plenitude, derivando do termo tibetano “dkyil khor”. Sua estrutura de combinações figuras, quadrados e triângulos em torno de um centro simbolizam a união do plano espiritual com o material. Mandala é uma forma de trabalhar o nosso universo interior de um modo criativo, que nos ajuda também a reunir energias dispersas e a melhorar a nossa concentração, induzindo ao estado de relaxamento. Naturalmente, se percebermos uma paixão muito forte e intensa, podemos reproduzi-la em uma pintura com toda a variedade de chamas e ornamentos. Estes poderosos instrumentos mágicos são utilizados na harmonização e cura de energias confusas em ambientes e também para meditação como desbloquear ou despertar sentimentos e sensações que encontram dificuldades em manifestar-se, exteriormente deixando mágoas para trás, trazendo mais ânimo e nos acalmando. Carl Jung relacionou as mandalas a "movimentos em direção a um crescimento psicológico, expressando a idéia de um refúgio seguro, de reconciliação interna e inteireza". Para ele, as mandalas são embarcações na qual projetamos nossa psique, que retornam a nós como um caminho de restauração. Jung reconheceu que figuras arquetípicas (símbolos universais) de várias culturas podiam ser identificadas nesta expressão espontânea do inconsciente. Os círculos são universalmente associados à meditação, a cura e o sagrado, que funcionam como chaves para os mistérios de nosso interior e que, quando utilizados com este objetivo, remetem ao encontro com os mistérios de nossa alma.



Promoção do mês de agosto

Compre 100 minutos de consulta e GANHE 01 MANDALA
Solicite o catálogo de modelos desta promoção - frete grátis!

*Clique aqui para fazer sua consulta esotérica ou adicione selene-luz@hotmail.com.br*

Síndrome do Panico


panicoImaginem Rodrigo*, uma vida normal, estuda, trabalha na bolsa de valores de SP. Um dia estava na academia levantando pesos e sentiu uma enorme vontade de sair correndo, seu coração estava disparado e sentia falta de ar, uma angustia enorme e um grande medo de algo que nem ele mesmo sabia. Ficou desesperado pois imaginou que iria ter um ataque Cardiaco. Correu ao hospital e nada foi encontrado nos exames, em poucos minutos Rodrigo estava bem de novo sem entender o que tinha acontecido. (* Nome Ficticio )
 Relatos assim não são incomuns para os psicólogos e psiquiatras. Definida como , Sindrome do Panico, teve uma maior divulgação na decada de 90. Por ter sido mais estudada em todos os seus aspectos, entendemos muito mais suas formas de manifestação alem de uma maior pesquisa na efetividade de tratamentos, seja medicamentoso ou Psicoterapico.
 O transtorno do Panico é diferente de outras formas de transtornos de Ansiedade existentes. Os sintomas são como uma preparação Biológica para fugir de uma ameaça inimente de perigo. Se sabe que a Sindrome do Panico é uma ativação dos sistemas de defesa do organismo aparentemente sem nenhuma causa ( embora tenha, mas muitas vezes a pessoa não consegue entende-la ). Essas causas são Bio-psiquicas, ou seja, possuem fundo psicológico e de problemas relacionados a sinapses dos neuro-transmissores.
Se caracteriza por :
  • Contração / tensão muscular, rijeza
  • Palpitações / taquicardia (o coração dispara)
  • Tontura, atordoamento, náusea
  • Dificuldade de respirar ou respiração muito rapida ( Hiperventilação )
  • Calafrios ou ondas de calor, sudorese
  • Confusão, pensamento rápido
  • Medo de perder o controle, fazer algo embaraçoso
  • Medo de morrer
  • Vertigens ou sensação de debilidade
  • Terror – sensação de que algo inimaginavelmente horrível está prestes aacontecer e de que se está impotente para evitar tal acontecimento
  • Sensação de “estar sonhando” ou distorções de percepção da realidade
Existem diversos subtipos de Sindrome do Panico, em algumas pessoas aparece a forma “pura” sem outros sintomas, mas existem pessoas que apresentam Sindrome do Panico com Agorafobia ( Fobia de Lugares Publicos ou situações onde ficaria muito dificil de fugir caso aconteça um ataque de panico ). Pessoas com Sindrome do Panico com Agorafobia são aquelas que se trancam em casa. Esse subtipo é o mais comum.
O tratamento da Sindrome do Panico sempre é realizado pelo Psicologo e pelo psiquiatra, pois o tratamento envolve medicação. Isso é, medicação que atua diretamente nos processos de ansiedade. Porem a medicação por sí só não é eficiente, sendo necessária a atuação psicoterápica para procedimentos de enfrentamento e controle das crises.
Existem diversos estudos que mostram que a junção do tratamento Psicologico e Psiquiatrico é muito mais eficiente do que tratamentos ou só psicologicos ou só psiquiatricos. Por isso é necessaria a integração dos profissionais da Saude, sempre visando o melhor para o seu cliente.
As Psicoterapias Comportamentais e Cognitivo Comportamentais são as mais eficientes e sempre indicadas para tratamento de Transtornos de Ansiedade como a Sindrome do Panico.
Atenção :
Se conhecerem alguem que possua comportamentos condizentes com a Sindrome do Panico é sempre muito importante procurar um psicologo qualificado ou um medico para averiguar a possibilidade de Panico e começar o tratamento mais efetivo para aquela pessoa.
 Sindrome do Panico é uma doença, não é loucura e não é falta de vergonha como muito se pregou no passado. Hoje sabemos que é uma doença que causa intenso sofrimento e deve ser tratada o mais rapido possivel para que a pessoa recupere sua alegria de viver sem estar sempre ansiosa e com medo de ter outro ataque.
Por : Marcelo C. Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário