Mandala traduzindo do Sânscrito, significa: मंड "essência” + ल "ter" ou "conter". Também pode ser traduzida como círculo ou circunferência, totalidade, plenitude, derivando do termo tibetano “dkyil khor”. Sua estrutura de combinações figuras, quadrados e triângulos em torno de um centro simbolizam a união do plano espiritual com o material. Mandala é uma forma de trabalhar o nosso universo interior de um modo criativo, que nos ajuda também a reunir energias dispersas e a melhorar a nossa concentração, induzindo ao estado de relaxamento. Naturalmente, se percebermos uma paixão muito forte e intensa, podemos reproduzi-la em uma pintura com toda a variedade de chamas e ornamentos. Estes poderosos instrumentos mágicos são utilizados na harmonização e cura de energias confusas em ambientes e também para meditação como desbloquear ou despertar sentimentos e sensações que encontram dificuldades em manifestar-se, exteriormente deixando mágoas para trás, trazendo mais ânimo e nos acalmando. Carl Jung relacionou as mandalas a "movimentos em direção a um crescimento psicológico, expressando a idéia de um refúgio seguro, de reconciliação interna e inteireza". Para ele, as mandalas são embarcações na qual projetamos nossa psique, que retornam a nós como um caminho de restauração. Jung reconheceu que figuras arquetípicas (símbolos universais) de várias culturas podiam ser identificadas nesta expressão espontânea do inconsciente. Os círculos são universalmente associados à meditação, a cura e o sagrado, que funcionam como chaves para os mistérios de nosso interior e que, quando utilizados com este objetivo, remetem ao encontro com os mistérios de nossa alma.



Promoção do mês de agosto

Compre 100 minutos de consulta e GANHE 01 MANDALA
Solicite o catálogo de modelos desta promoção - frete grátis!

*Clique aqui para fazer sua consulta esotérica ou adicione selene-luz@hotmail.com.br*

Moxabustão - Acumpuntura com ervas

Técnicas alternativas, que promovem o bem estar físico e mental é cada vez mais utilizado como complemento aos tratamentos tradicionais. A Moxabustão é uma terapia, da medicina tradicional chinesa, onde se utiliza partes da planta denominada “Artemísia”, (Artemisia vulgaris e sinensis). Os benefícios representam mais disposição, alívio de dores e aumento de energia.
É possível tratar artrite, depressão, astenia, extremidades frias, doenças reumáticas que segundo os chineses é causada pelo frio, umidade e tristeza, melhorando os sintomas de forma gradativa como: tontura, cansaço, opressão no peito e epigástrio, náusea, vômitos, viscosidade e sabor adocicados na bôca, doenças de pele, abcessos, úlceras gotosas e leucorréia de fluxo abundante, edemas, lombalgia, cervicalgia, cólicas menstruais, constipação intestinal.  Para a beleza é possível, no tratamento estético, ajudar a minimizar as rugas da face. 
“A terapia consiste na introdução de calor no organismo, através dos pontos energéticos e pontos dolorosos por alguma deficiência e assim remover obstruções dos canais de energia do corpo, eliminando a umidade e o frio que promovem disfunções no organismo. De acordo com a Medicina Chinesa, a Moxa é aplicada sobre os pontos de condensação de energia vital (KI) nos meridianos energéticos corporais, ou seja, os designados pontos “TSUBOS”, que no Japão significa pontos de Acupuntura, os quais nos permitem conectar e atuar sobre a energia dos meridianos, de uma forma mais intensa. A Moxabustão pode ser aplicada de diversas maneiras, de forma direta ou indireta. Na direta, se faz um pequeno cone de Moxa do tamanho de um grão de arroz, onde se coloca diretamente na pele sobre o TSUBO, ou sobre um pedaço de gengibre ou alho. Já a indireta pode ser efetuada de duas formas: aproximando o bastão de moxa na pele ou presa na ponta das agulhas, a fim de estimular os pontos, sem haver contato com a pele.

Aplicação
Com a ajuda de um bastão aceso parecido com um charuto é colocado próximo o ponto que deseja e necessita de energia, o calor do bastão pode ser introduzido através das agulhas de acupuntura ou até mesmo aproximando a erva sobre a pele podendo ocasionar pequenas marcas de queimadura. O tempo da sessão é variável, pois vai depender do que será tratado. E o número de sessões também, pois em um quadro de edema, pode ser uma sessão. Em casos de dores crônicas são indicadas de oito a dez sessões. Cada caso requer uma condução da terapia, de maneira diferenciada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário